refletir

refletir
o senhor te da autoridade
Censo Demográfico - 2000 - Resultados da Amostra População residente segundo as Grande Regiões a as unidades da Federação Grandes Regiões e Unidades da Federação Total (1) Evangélicos Porcentagem Brasil 169.872.859 26.184.942 15% Norte 12.911.170 2.550.484 20% Rondônia 1.380.952 375.483 27% Acre 557.882 113.520 17% Amazonas 2.817.252 593.551 21% Roraima 324.397 72.947 22% Pará 6.195.965 1.119.823 18% Amapá 477.032 88.559 19% Tocantins 1.157.690 186.601 16% Nordeste 47.782.448 4.903.939 10% Maranhão 5.657.552 649.970 11% Piauí 2.843.428 170.917 6% Ceará 7.431.597 612.847 8% Rio Grande do Norte 2.777.509 247.755 9% Paraíba 3.444.794 303.151 9% Pernambuco 7.929.154 1.072.503 14% Alagoas 2.827.856 254.600 9% Sergipe 1.784.829 129.797 7% Bahia 13.085.769 1.462.399 11% Sudeste 72.430.194 12.685.289 18% Minas Gerais 17.905.134 2.437.186 14% Espírito Santo 3.097.498 773.129 25% Rio de Janeiro 14.392.106 3.163.741 22% São Paulo 37.035.456 6.311.233 17% Sul 25.110.349 3.849.564 15% Paraná 9.564.643 1.590.378 17% Santa Catarina 5.357.864 802.395 17% Rio Grande do Sul 10.187.842 1.456.791 14% Centro-Oeste 11.638.658 2.195.666 19% Mato Grosso do Sul 2.078.070 378.654 18% Mato Grosso 2.505.245 418.149 17% Goiás 5.004.197 998.802 20% Distrito Federal 2.051.146 400.061 20%
Pedido de Oração Se você está em uma situação difícil, se mais nada dá certo, está desempregado, doente, tudo parece perdido, faça um pedido de oração e o estaremos colocando na Arca da Vitória. Deus está interessado em você, por isso estamos preocupados com teu bem estar. Faça agora mesmo seu pedido de oração preenchendo o furmlário abaixo e com muito prazer estaremos orando todo dia por você e sua família. Nome: Preencha o campo Nome E-mail: Preencha o campo E-mail Pedido de Oração: Preencha o campo Pedido de Oração

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

davi e seu sucessor

I - Introdução




Ser o sucessor de um grande homem de Deus, ou um homem segundo o coração de Deus como foi Davi, não era uma tarefa fácil. Um homem que de pastor de ovelhas se tornou um grande guerreiro e consolidou a pequena nação de Israel como um reino poderoso que, no século 10 a. C. dominou grande parte do Oriente Médio. Davi apesar de ter cometido alguns deslizes, sempre soube reconhecer seus erros e pedir misericórdia a Deus. Ao longo de sua vida buscou ser um homem reto e fazer a vontade de Deus.



II - Um sucessor indicado por Davi, mas escolhido por Deus.



II.1 - As insubmissas escolhas humanas



Adonias não respeitou a autoridade, idade, ou estado de saúde de seu pai. Davi tinha culpa nisto, pois não havia dado limites ou orientado seu filho. Em I Reis 1.6 diz: “E nunca seu pai tinha contrariado dizendo: Por que fizeste assim?”



A rebelião de Adonias era também fruto do pecado de Davi, que em toda sua vida sofreu com seus filhos.



Trazendo o assunto para nossos dias, vemos com relação à sucessão ministerial muitos agirem como Adonias, pois antes mesmo que seus líderes devam ser substituídos já estão articulando ou especulando sobre a sucessão. Usam de ardis para usurparem o lugar para o qual Deus já escolheu a pessoa certa.



II.2 - A escolha divina



Apesar da ambição de Adonias pelo trono de Davi, seu pai, foi a Salomão que Deus escolheu. Este é sem duvida o grande diferencial para quem deseja ser líder, não basta que haja quem indique, é essencial que seja escolhido por Deus.



Lendo a Coletânea de Artigos Históricos do Mensageiro da Paz, encontrei um artigo escrito por David Tavares Duarte - Maio/2000, cujo título é: “Nepotismo não, vocacionados sim”. Neste artigo o autor fala exatamente sobre o que vem acontecendo Brasil afora na sucessão ministerial.



“A luz da Bíblia, não compete ao homem, mas a Deus aprovar ou reprovar aqueles que ingressam no episcopado. Consoante expresso em I Timóteo 3.1, cabe ao líder a tarefa de avaliar o candidato, não o parentesco”.



A Bíblia nos mostra exemplos de filhos de sacerdotes que foram aprovados por Deus como sucessores. Arão, sacerdote fiel, teve filhos ungidos sacerdotes. Um deles, Eleazar, foi considerado príncipe dos príncipes de Levi e superintendente sobre os que tinham o cuidado da guarda do santuário (Nm 3.2-32).



Fineias, filho de Eleazar, recebeu o concerto da paz e o concerto de sacerdócio perpétuo (Nm 25.11-13). Quão glorioso seria se todo Pastor evangélico tivesse o privilégio de indicar os filhos, genros ou netos de forma reta e justa ao santo trabalho do Reino de Deus!



III - Um sucessor de pouco experiência mas que herdou um grande legado



Davi demonstrou suas melhores virtudes de liderança como rei quando organizou a apropriada direção do culto divino, definindo, entre outras coisas, trabalho dos levitas (I Cr 23.4 e 5). Fazendo isso, ele consolidou a base da sua liderança e fortaleceu a estrutura religiosa e política da nação.



Salomão reconhecia em seu pai um líder virtuoso e quando Deus fala com ele em sonho ele se considera um menino. Tendo oportunidade de pedir a Deus o que quisesse, ele pede “um coração bem entendido” (I Rs 3.9). Sabedoria foi o que Salomão pediu a Deus, pois reconhecia a árdua tarefa de ser sucessor de seu pai Davi.



Quando Davi exorta os príncipes e seu filho Salomão (I Cr. 28), ele coloca como condição prévia para que o reino de Salomão fosse estabelecido que este estivesse em obediência e fidelidade a Deus. Davi aconselhou Salomão que procurasse conhecer a Deus, que servisse e O buscasse “com um coração perfeito e com alma voluntária” (I Cr 28.9). Enquanto Salomão procedeu assim foi abençoado por Deus.



IV - Um sucesso jovem mas de grande piedade



Salomão demonstrou por muitas vezes que mesmo sendo tão jovem era um homem temente, justo e humilde. Soube reconhecer tudo que seu pai representava (I Rs 3. 6 e 7).



É dever de um líder se conduzir de forma irrepreensível, tanto na vida privada como na vida pública. Por isso Deus condicionou os dias de vida de Salomão à maneira como se conduziria diante de dEle. Uma vida longa dependia de sua retidão (I Rs 3.14)



A verdade prática desta lição fala sobre a virtude dos grandes líderes em forma sucessores. Penso que a maneira de viver e agir é fundamental para a formação de novos obreiros. Os liderados podem se espelhar num líder que vive na direção e dependência de Deus.



V - Conclusão



Esta lição nos faz refletir sobre aceitarmos a vontade de Deus e nos conduzirmos dentro da Sua vontade. A ambição tem feito com que muitos passem sobre os outros, atropelando sonhos e vocações. Quantos homens de Deus vocacionados, habilitados e chamados estão frustrados, vítimas da ambição de muitos que não se preocupam em consultar a Deus e colocam seus propósitos acima da vontade de Deus? Rogamos para que aqueles que detêm o poder de decisão no trato das questões de interesse da Igreja coloquem a vontade de Deus sobre seus interesses pessoais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário