refletir

refletir
o senhor te da autoridade
Censo Demográfico - 2000 - Resultados da Amostra População residente segundo as Grande Regiões a as unidades da Federação Grandes Regiões e Unidades da Federação Total (1) Evangélicos Porcentagem Brasil 169.872.859 26.184.942 15% Norte 12.911.170 2.550.484 20% Rondônia 1.380.952 375.483 27% Acre 557.882 113.520 17% Amazonas 2.817.252 593.551 21% Roraima 324.397 72.947 22% Pará 6.195.965 1.119.823 18% Amapá 477.032 88.559 19% Tocantins 1.157.690 186.601 16% Nordeste 47.782.448 4.903.939 10% Maranhão 5.657.552 649.970 11% Piauí 2.843.428 170.917 6% Ceará 7.431.597 612.847 8% Rio Grande do Norte 2.777.509 247.755 9% Paraíba 3.444.794 303.151 9% Pernambuco 7.929.154 1.072.503 14% Alagoas 2.827.856 254.600 9% Sergipe 1.784.829 129.797 7% Bahia 13.085.769 1.462.399 11% Sudeste 72.430.194 12.685.289 18% Minas Gerais 17.905.134 2.437.186 14% Espírito Santo 3.097.498 773.129 25% Rio de Janeiro 14.392.106 3.163.741 22% São Paulo 37.035.456 6.311.233 17% Sul 25.110.349 3.849.564 15% Paraná 9.564.643 1.590.378 17% Santa Catarina 5.357.864 802.395 17% Rio Grande do Sul 10.187.842 1.456.791 14% Centro-Oeste 11.638.658 2.195.666 19% Mato Grosso do Sul 2.078.070 378.654 18% Mato Grosso 2.505.245 418.149 17% Goiás 5.004.197 998.802 20% Distrito Federal 2.051.146 400.061 20%
Pedido de Oração Se você está em uma situação difícil, se mais nada dá certo, está desempregado, doente, tudo parece perdido, faça um pedido de oração e o estaremos colocando na Arca da Vitória. Deus está interessado em você, por isso estamos preocupados com teu bem estar. Faça agora mesmo seu pedido de oração preenchendo o furmlário abaixo e com muito prazer estaremos orando todo dia por você e sua família. Nome: Preencha o campo Nome E-mail: Preencha o campo E-mail Pedido de Oração: Preencha o campo Pedido de Oração

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Exortação à Santificação -
Texto Áureo: “Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus” (2 Co 7.1).

Verdade Prática: Através de uma vida de Santificação e pureza, o crente separa-se das paixões mundanas, dedicando-se sacrificalmente ao serviço de nosso Senhor Jesus Cristo.

Leitura Bíblica em classe: 2 Coríntios 6.14-18; 7.1,8-10 ARC.

INTRODUÇÃO

Nesta lição abordaremos um tema que é e deve ser a essência de todo o cristão: SANTIFICAÇÃO. Paulo roga aos Coríntios que apresentem sua vidas santas e puras diante de Deus. Diante de tantas infiltrações do paganismo no seio da igreja que visava afastar os cristãos dos ensinamentos que receberam de Paulo a respeito do jugo desigual com os incrédulos (pagãos). O apostolo ainda recomenda a seus discípulos que valorizem a promessa do céu e se limpem de toda imundicia afim de que possam testemunhar da sua fé ante o paganismo que ameaçava e ainda ameaça a igreja de Cristo.

PAULO APELA À RECONCILIAÇÃO E COMUNHÃO (6.11-13).

1. Paulo apela ao sentimento fraterno dos coríntios (v. 11).

O apóstolo, de um modo pessoal, volta-se agora para os coríntios e lhes faz um apelo ardente para que entre eles haja afeição e sinceridade mútuas. Paulo interrompe o relato de sofrimento apostólico com um apelo veemente aos coríntios para abertura e o afeto mútuo (v. 11-13). Como seu pai na fé 1 Co 4.15), ele deseja ardentemente uma intimidade com seus filhos espirituais.

2. Paulo dá exemplo de reconciliação.

Paulo sabe que o verdadeiro afeto é dado livremente, e então procura persuadi-los, porém não lhes dá ordens. Ao longo de sua correspondência, sempre lhes falou (implicitamente no tempo verbal perfeito) abertamente; seu amor e afeto nunca foram escondidos. Agora ele os exorta a retribuírem seu afeto, “dilatando” seus corações como ele (Paulo) fez.

3. Paulo demonstra seu afeto e espera ser correspondido (VV. 12,13).

“Não tendes limites em nós” (12); isto é, “Não vos damos um lugar limitado em nossa afeição; vós é que limitais a afeição que podíeis gozar de nossa parte”. Retribuição (13); isto é, “dai-me, assim como eu vos dou”. Paulo deseja tocar em assunto que pode magoá-los, mas reafirma que lhes tem amor.

II. PAULO EXORTA OS CORÍNTIOS A UMA VIDA SANTIFICADA (6.14-7.1).

Termos Bíblicos Para Santificação e Santidade.

1. TERMOS DO VELHO TESTAMENTO.

A palavra veterotestamentária para o termo santificação: do Heb: qãdash “santificar, ser santo, ser santificado”. No radical primário, o verbo significa um ato por meio do qual - ou um estado no qual - pessoas ou coisas são reparadas para uso na adoração de Deus: “eles são consagrados ou tornados sagrados”. “santificar” é qadash, verbo empregado nas formas niphal, do hiphil e do hithpa’el. O substantivo correspondente é qodesh, enquanto que o adjetivo é qadosh. As formas verbais são derivadas das formas nominal e adjetiva.
2. TERMOS DO NOVO TESTAMENTO
a. O verbo hagiazo e seus vários sentidos. O verbo hagiazo é derivado de hagios, que, como a palavra hebraica qadosh, expressa primariamente a idéia de separação. Todavia, é empregado em vários sentidos diferentes no Novo Testamento. Podemos distinguir os seguintes: (1) È empregado num sentido mental, com referência a pessoas ou coisas, Mt 6.9; Lc 11.2; 1 Pe 3.15. Em casos como esses, significa “considerar um objeto como santo”; “atribuir santidade a”, ou “reconhecer sua santidade por palavra ou ato”. (2) Também é empregado, ocasionalmente, num sentido ritual, isto é, no sentido de “separar do ordinário para propósitos sagrados”, ou de “por de lado para certo ofício”, Mt 23.17, 19; Jo 10.36; 2 Tm 2.21. (3) É empregado ainda para denotar a operação de Deus pela qual Ele, especialmente por intermédio do Seu Espírito, produz no homem a qualidade subjetiva da santidade, Jo 17.17; At 20.32; 26.18; 1 Co 1.2; 1 Ts 5.23. (4) Finalmente, na Epístola aos Hebreus, é, ao que parece, empregado num sentido expiatório, e também no sentido correlato do dikaioo paulino, Hb 9.13; 10.10, 29; 13.12.
b. Os adjetivos que expressam a idéia de santidade. (1) Hieros. A palavra menos empregada, e também menos expressiva, é hieros. Acha-se unicamente em 1 Co 9.13; 2 Tm 3.15, e, aí, não se referindo a pessoas, mas a coisas. Não expressa excelência moral, mas o caráter inviolável da coisa referida, resultante da sua relação com Deus. Sua melhor versão para o vernáculo é com a palavra “sagrado”. (2) Hosios. A palavra hosios ocorre com maior freqüência. Acha-se em At 2.27; 13.34, 35; 1 Tm 2.8; Tt 1.8; Hb 7.26; Ap 15.4; 16.5, e se aplica não somente a coisas, mas também a Deus e a Cristo. Descreve uma pessoa ou coisa como livre de profanação ou de iniqüidade, ou mais ativamente (quanto a pessoas), como cumprindo religiosamente toda obrigação moral. (3) Hagnos. A palavra hagnos ocorre em 2 Co 7.11; 11.2; Fp 4.8; 1 Tm 5.22; Tg 3.17; 1 Pe 3.2; 1 Jo 3.3. Ao que parece, a idéia fundamental da palavra é a de liberdade da impureza e corrupção, num sentido ético. (4) Hagios. A palavra realmente característica do Novo Testamento é, porém, hagios. Seu significado primário é o de separação na consagração e dedicação ao serviço de Deus. Com isto se relaciona a idéia de que aquilo que é posto à dedicação ao serviço de Deus. Com isto se relaciona a idéia de que aquilo que é posto à parte do mundo para Deus, também deve separar-se da corrupção do mundo e compartir a pureza de Deus. Isto explica por que hagios depressa adquiriu uma significação ética. Nem sempre a palavra tem o mesmo sentido no Novo Testamento. (a) É empregada para indicar uma relação oficial externa, uma separação dos propósitos comuns para o serviço de Deus, como por exemplo, quando lemos sobre os “santos profetas”, Lc 1.70, os “santos apóstolos”, Ef 3.5, e os “homens santos”, 2 Pe 1.21. (b) Mais freqüentemente, porém, é empregada num sentido ético para descrever a qualidade necessária para manter-se uma estreita relação com Deus e para servi-lo aceitavelmente, Ef 1.4; 5.27; Cl 1.22; 1 Pe 1.15, 16. Deve-se ter em mente que, ao tratarmos da santificação, utilizamos a palavra primordialmente neste último sentido. Quando falamos da santidade em conexão com a santificação, temos em mente tanto uma relação externa como uma qualidade subjetiva interior.
c. Os substantivos que denotam santificação e santidade. O vocábulo neotestamentário para santificação é hagiasmos. Ocorre dez vezes, a saber, em Rm 6.19, 22; 1 Co 1.30; 1 Ts 4.3, 4, 7; 2 Ts 2.13; 1 Tm 2.15; Hb 12.14; 1 Pe 1.2. Embora denote purificação ética, inclui a idéia de separação, isto é, “a separação do espírito de tudo que é impuro e corruptor, e uma renúncia dos pecados para as quais os desejos da carne e da mente nos levam”. Enquanto hagiasmos denota a obra da santificação, há outras duas palavras que descrevem o resultado do processo, quais sejam, hagiotes e hagiosyne. Aquela se acha em 1 Co 1.30 e Hb 12.10; e esta em Rm 1.4; 2 Co 7.1 e 1 Ts 3.13. Estas passagens mostram a qualidade da santidade ou de estar livre da corrupção e da impureza é essencial para Deus, foi demonstrada por Jesus Cristo, e é dada ao cristão.
O apostolo Paulo era um homem cuja vida transmitia amor pelos seus discípulos na fé porém não podia deixar que seu amor fosse um empecilho no desempenho e aperfeiçoamento da santificação dos Coríntios.

2. O perigo que ameaça a fé: o jugo desigual.

Esta seção parece um tanto isolada, visto como o assunto pessoal volta a ser tratado em 2 Co 7.2 e segs., que reatam o pensamento de 2 Co 6.13. O tema, aqui, é casamento com incrédulos, tópico que também foi discutido em 1 Co 7.10 e segs. O apóstolo exorta vigorosamente os crentes a que não se misturem com incrédulos no sentido de participarem do seu modo de vida. O casamento, naturalmente, é a maneira suprema de se partilhar da vida de outrem; mas o apóstolo parece ampliar o escopo de sua exortação à medida que vai escrevendo. Belial, o Maligno (15); isto é, Satanás. Vós sois o templo do Deus vivente (16). Esta é uma das grandes frases da Escritura, revelação maravilhosa em poucas palavras tão cheias de sentido. Deus habita nos corações e mora na vida dos crentes; Ele nenhuma comunhão tem com Satanás. Por conseguinte, os crentes não podem tolerar a companhia dos incrédulos, naquelas atividades que os distinguem como tais. Retirai-vos (17). É citação de Is 52.11, onde o profeta se dirigiu aos sacerdotes. Como os sacerdotes de Israel deviam ser rigorosamente “limpos”, assim agora todos os cristãos devem sê-lo, visto como todos são “sacerdotes”. O apóstolo amplia o pensamento da passagem de Isaías por meio de uma referência também a Ez 37.27.

3. O correto relacionamento do cristão com os não crentes.

Paulo afirmou num principio geral, que nós podemos parafrasear. Não entre em nenhum relacionamento com os infiéis que possa envolver um comprometimento dos padrões ou testemunhos cristãos. Sejam quais forem esses relacionamentos - sociais, de negócios, ou outros - Paulo sabe que cada um de nó precisa confiar na orientação do Espírito, que nos ajudará a decidir. Mais tarde, Paulo nos dá uma palavra adicional de orientação. Devemos nos lembrar de que Deus nos chama para uma vida de pureza, eliminando de nossa vida qualquer coisa que contamine a carne e o espírito.

III. PAULO REGOZIJA-SE COM AS NOTICIAS DA IGREJA DE CORINTO (7. 2-16)

1. Paulo reitera seu amor para com os coríntios (VV. 2-4)

Paulo retorna a seu antigo apelo por uma abertura e afeto mútuos (Veja 6.13). Desta vez justifica seu apelo lembrando-lhes de sua conduta perfeita entre eles. É provável que as negações listadas aqui reflitam as acusações de seus adversários contra ele. Paulo, porém, é rapido em assegurar novamente aos córintios que ao mencionar estas acusações, não os está incluindo no grupo daqueles que ele condena - “eu não digo isto para vos condenar” (v.3). Antes, lembra-lhes de sentimentos previamente expressos (6.11); seu amor e compromisso em ralação a eles os tem permanentemente assegurado em seu coração. Nada na vida, nem mesmo a própria morte, pode cortar os laços de seu amor para com eles. Além disso, apesar de suas tribulações presentes, paulo tem motivos para ser encorajado.

2. Paulo alegra-se com as noticias trazidas por Tito (vv. 5-7).

Paulo agora retoma o relato de suas viagens que havia descotinuado em 2.13. recordando a experiência deste momento, entendemos porque paulo diz que ao entrar na macedônia estava fisicamente exausto, ansioso e deprimido (v.5,6). Antigos problemas levaram-no a fazer uma visita apressada a Corinto, em esforço de resolver a situação ali. Mas a visita só tornou as coisas piores e foi profundamente e pessoalmente dolorosa para ele. Logo depois de retornar a Éfeso, ainda magoado por sua experiência, escreveu uma carta áspera e comovente de repreenção para a igreja (2.4,5) e enviou-a por Tito. Viajando para o norte em direção a Troas, Paulo se ocupou com o ministério e esperou ansiosamente por noticias dos corintios em resposta a sua carta. Pode-se imaginar o alívio que a chegada de Tito não era nada menos que o conforto misericordioso de Deus. Seus medos e preocupações se transformaram em alegria quando Tito falou sobre a dor genuína dos coríntios pelos pecados cometidos contra Paulo, e sobre seu afeto e terna preocupação para com ele.

3. A tristeza segundo Deus (vv. 8-16).

A tristeza que causada neles não era tristeza terrena, que abate e destroi por meio do pecado, mas uma dor Divina que traz arrependimento, que não deixa nenhum remorço e que leva a Salvação.
“Não me arrependo, embora já me tenha arrependido” (8). Transbordou de alegria quando soube, por meio de Tito, que eles haviam recebido a carta num espírito de vero arrependimento (ver os vers. 4,6,9,13). Da qual ninguém se arrepende (10); o arrependimento que conduz à salvação não é nunca para se lamentar. A tristeza do mundo produz morte (10). Quando os prazeres do mundo falham, como acontece inevitavelmente, o fim é desespero e morte. Por causa do que fez o mal (12); a natureza exata do malfeito não está declarada. Não se tem certeza se foi o mesmo caso narrado em 1 Co 5.1. Vossa solicitude a nosso favor (12). O apóstolo continua regozijando-se na “desavença, que tanto mais granjeou estima”, tendo isto revelado aos coríntios quanto cuidavam dele. Neste ponto, eles deram um exemplo de justa correspondência ao evangelho, de como a graça de Deus opera na restauração dos laços de amor.

CONCLUSÃO

A santificação é o único meio pelo qual os cristãos verão a Deus, sendo assim precisamos desenvolver uma comunhão baseada nas escrituras clamando a Deus por sua misericordiosa graça e perdão para que possamos alcançar do Senhor forças por meio da ação continua do Espírito Santo em nossas vidas. A santificação é o passaporte que nos concederá a oportunidade de viajar-mos para as mansões celestiais.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

pulserinhas de silicone

Recentemente, todo mundo vê, pelo menos aqui em Sampa que virou uma modinha aquelas pulseirinhas de silicone.
Por todo lugar onde eu ando sempre tem alguem usando, seja menina ou menino. Tem gente que usa normal, tem gente que usa entrelaçada, tem gente que faz trancinha, cada um da seu "toque".
Até tenho umas que ganhei e talz, acho estiloso, uso e mesmo depois dessa pesquisa toda não vou parar de usar #hehe, todo mundo sabe o quanto sou teimoso mesmo, mas o fato é que quase ninguem sabe o que "supostamente" significa essas pulseiras.


Se para muitos a nova febre de pulseirinhas coloridas de silicone é algo normal e até bonito, para outros é um código para experiências sexuais, onde cada cor tem um significado, podendo ir de um simples abraço até o sexo propriamente dito. Elas podem ser encontradas em qualquer lugar, em diversas opções - laranja, roxo, vermelho, azul, preto, rosa, amarelo, verde, branco, dourado, com glitter, sem glitter, e inumeras outras -, custam, em média, R$ 0,10 e viraram febre em todo o mundo. Uma história que começou na Inglaterra - os jornais europeus chamam de "pulseira do sexo" - e já chegou ao Brasil.

Foi o jornal Inglês The Sun que trouxe o assunto para a discussão ao publicar um artigo em que afirmava que nas escolas inglesas os adolescente usam pulseiras coloridas para trocar entre si mensagens de teor sexual.
Segundo o jornal inglês, os adolescentes teriam então inventado vários jogos com as respectivas pulseiras, cujo objectivo é sempre o mesmo: ao rebentar uma pulseira duma determinada cor, o rapaz terá direito a reclamar o comportamento sexual da menina, que pode ir desde um abraço ou beijo até a uma relação sexual.

Usando uma pulseira de determinada cor, a adolescente através dum jogo (o Snap) indica até onde quer ir nos carinhos ou mesmo na actividade sexual.

Código das cores:

Amarela - abraço
Rosa - mostrar o peito
Laranja - dentadinha de amor
Roxa - beijo com a língua - talvez sexo
Vermelha - Striptease
Verde - sexo oral a ser praticado pelo rapaz
Branca - a menina escolhe
Azul - sexo oral a ser praticado pela menina
Preta - sexo com a menina na posição papai e mamãe

Aparentemente também existem cores para outras atividade menos vulgares, mas como nem sei as cores, nem posso escrever aqui tudo preto no branco, ficamos só com estas.

Lembrando que a maioria das pessoas usam apenas como decorativo, então não vamos sair por ai arrebentando a pulseira das meninas e exigindo sexo tá garotada?
Não basta gostarmos de Missões, não basta amarmos Missões, não basta chorarmos em Cultos de Missões, não basta firmarmos compromissos com Deus motivados pela emoção apenas; o que realmente interessa a Deus é se eu e você FAZEMOS MISSÕES."
Igreja e Missões: Estatísticas de uma triste realidade

VOCÊ SABIA...?
... que os Evangélicos gastam mais dinheiro com refrigerantes e bombons do que investindo em Missões?
... que os Evangélicos gastam mais com animais de estimação do que investindo em Missões?
... que os Evangélicos gastam menos investindo em Missões do que com uma coca-cola por dia?
...que, segundo pesquisa publicada na Revista "Raio de Luz Criança", as Igrejas Evangélicas gastam o seu dinheiro:
95% com coisas dentro da própria Igreja
4,5% com Missões
0,5 com Missões em lugares onde nunca se ouviu falar de Jesus
É preciso despertarmos para que compreendamos quais são as nossas verdadeiras prioridades no Reino de Deus.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

a paz do senhor

irmãos e seguidores desse blog,quero continuar com esse blog na net,
minhas condições no momento,não é nada bem.mas graças a DEUS que supre as nossas nececidades,e abre portas que estão fechadas.venho por meio desse blog,,que sei que te trás renovo e edificação espiritual,pedir mediante a tua condições ,asua ajuda senti do senhor ,por isso estou pedindo a sua ajuda,
EM 1 CRÕNICAS CAP29 VERSO5B ESTÁ ESCRITO
[QUEM ,POIS, ESTÁ DISPOSTO A ENCHER A SUA MÃO,PARA OFERECER HOJE VOLUNTARIAMENTE AO SENHOR]VOCÊ PODERÁ FAZER UM DEPÓSITO NUMA CONTA POUPANÇA QUE ABRI
AGÊNCIA 3915 CAIXA ECONÓMICA FEDERAL
OPERAÇÃO 013
N DA CONTA 13914-3 POUPANÇA EMERSON LUIZ DE OLIVEIRA
SÓ DEPOSITE SE REALMENTE VOCÊ SENTIR DE DEUS,O VALOR É VC QUE VAI VER.
O MEU INTERESSE NO BLOG É LEVAR A PALAVRA DE DEUS PARA A SUA EDIFICAÇÃO ESPIRITUAL. QUERO ORAR A TEU FAVOR TENHO EMAIL
EMERSONLUIZ1969@BOL.COM.BR
emersonluiz1969@ymail.com
emersonoliveira07@gmail.com
entre em contato através desses email ou ainda
emersonluizdeoliveira
rua.belo horizonte n141 cj res renato bonilaure
pinhais-parana
cep 83325-440
41-96196722

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

TEXTO: (Atos 16.9).
TEMA O CLAMOR DAS NAÇÕES.

INTRODUÇÃO:

Missões é a responsabilidade da igreja, em geral, e de cada crente, em particular. É desafio de amor e reflexo de sintonia com o coração de Deus. Sempre responderão ao desafio da obra missionária aqueles que têm uma experiência com o Senhor, que têm compaixão pelos perdidos e que são gratos pela eficácia do Evangelho em suas vidas.
Eram tempos emocionantes para a igreja. No pentecostes três mil almas se salvaram. Os crentes e as igrejas se multiplicavam. Paulo mudou de perseguidor a apóstolo. Empreendeu várias viagens missionárias para espalhar as boas notícias.
No verso 6, Paulo planejava ir à Ásia, mas o Espírito Santo o deteve. Tentou ir a Mísia e Bitínia, mas, novamente, o Espírito Santo o impediu. O Senhor, através de uma visão instruiu a Paulo para que fosse à Macedônia. Paulo escutou o clamor macedônio. A Bíblia diz: “Durante a noite Paulo teve uma visão, na qual um homem da Macedônia estava em pé e lhe suplicava: "Passe à Macedônia e ajude-nos". (v. 9).
As expectativas eram grandes quanto às possibilidades de convertidos.
O que podemos aprender do clamor macedônio?

I. AS ALMAS PERDIDAS CLAMAM POR SALVAÇÃO - (v. 9)

Estas pessoas estão perdidas no pecado e sem esperança.
Em todo o planeta há um grito pelo sobrenatural, uma busca pela espiritualidade vista em todas as áreas. É fato que as pessoas podem ter culturas diferentes, viver em países diferentes, falar línguas diferentes, mas todas têm a mesma necessidade de Deus. (Eclesiastes 3.11). Os seres humanos podem ter culturas diferentes, posições sociais diferentes, mas todos, toda a terra, têm um vazio que só pode ser preenchido por Deus, como diz o (Salmo 42.1).

Há um grito das nações que precisa ser ouvido, que precisa ser atendido, que precisa ser considerado. Você já pensou no privilégio de ser parceiro de Deus para socorrer as nações em seu grito de socorro? A Bíblia diz que todo o nosso trabalho é visto por Deus que nos recompensa (Hebreus 6.10).

Eles nunca ouviram o Evangelho. Não sabem que Deus os ama. Não sabem que Cristo morreu para salvá-los. Não sabem que ressuscitou e lhes oferece vida eterna.

Paulo, em (Romanos 10.14), levanta algumas perguntas: “Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão se não houver quem pregue?”.

E como ouvirão? Esta pergunta precisa ser transformada numa exclamação: Eles precisam ouvir!

Mas, para que ouçam, tantas coisas têm que acontecer... Coisas simples para uns e difíceis para outros. Simples como ouvir o chamado do Senhor da Seara é dizer como Isaías: “Eis-me aqui, envia-me a mim”. (Isaías 6.8). A voz de Deus é uma convocação para uma missão de vida. O Senhor nos diz como disse a Isaías: “Eu tenho uma tarefa que precisa ser realizada. Tenho uma mensagem. Eu estou procurando quem possa ser meu colaborador. Posso contar com você?”

Não é fácil ouvir a voz de Deus; porém, mais desafiador do que ouvir é obedecer. O coração missionário, que é sensível ao grito das nações, consegue ouvir a voz de Deus e não ficar indiferente a ela. Impressiona-nos a disposição de Isaías que, ao ouvir a voz de Deus entendeu e obedeceu.
Sim, eles precisam ouvir e para que ouçam são necessários novos vocacionados. Em contrapartida temos missionários que já estão prontos para serem enviados, mas falta-lhes sustento. É preciso ver as multidões famintas perecendo sem o Pão da Vida, é preciso vê-las como Jesus as via. Só assim daremos a devida urgência ao IDE de Jesus.
Ouve você o clamor dos perdidos? Está você disposto a falar-lhes de Cristo e de seu amor?
Este é o maior desafio da igreja neste século 21: Ouvir o clamor dos povos que ainda estão em trevas espirituais.

II. O AMOR PELAS ALMAS PERDIDAS DEVE NOS FAZER PRESTAR ATENÇÃO AO CLAMOR - (vv. 10-40).

Paulo tinha um amor profundo pelas almas. Pense no amor de Paulo pelos judeus perdidos (Romanos 9.1-3); considere seu amor pelos gentios perdidos (viagens missionárias).
1. Rapidamente Paulo e Silas responderam à chamada de Deus para pregar o Evangelho na Macedônia. Encaminharam-se a Filipos, a primeira cidade da Macedônia. Paulo pregou em uma reunião de oração à margem do rio e Lídia se converteu. Lídia era uma mulher de negócios; uma vendedora de púrpura de Tiatira. Lídia tinha ido à reunião para adorar a Deus. Estava cansada da idolatria e buscava o verdadeiro Deus.


































Os que buscam ao Senhor encontram - (Jeremias 29.13). O Senhor abriu o coração de Lídia para escutar a mensagem de Paulo. Lídia encontrou a salvação e quis que outros soubessem dela. “Tendo sido batizada, bem como os de sua casa, ela nos convidou, dizendo: "Se os senhores me consideram uma crente no Senhor, venham ficar em minha casa". E nos convenceu”. (v.15). Membros da sua família também creram e foram batizados.
- Lídia, uma mulher da Ásia, foi a primeira convertida na Europa.
* O plano de Deus para alcançar o mundo é através de pessoas. Agora o Evangelho iria tanto à Ásia como à Europa.
2. Libertou uma jovem que tinha espírito de adivinhação: “Certo dia, indo nós para o lugar de oração, encontramos uma escrava que tinha um espírito pelo qual predizia o futuro. Ela ganhava muito dinheiro para os seus senhores com adivinhações. 17 Essa moça seguia a Paulo e a nós, gritando: "Estes homens são servos do Deus Altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação". 18 Ela continuou fazendo isso por muitos dias. Finalmente, Paulo ficou indignado, voltou-se e disse ao espírito: “Em nome de Jesus Cristo eu lhe ordeno que saia dela”!" No mesmo instante o espírito a deixou”. (vv. 16-18)
3. Na prisão, Paulo e Silas ganharam o carcereiro para Cristo: “Depois de serem severamente açoitados, foram lançados na prisão. O carcereiro recebeu instrução para vigiá-los com cuidado. 24 Tendo recebido tais ordens, ele os lançou no cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco”. (vv. 23-24)
Sua oração e louvor a Deus na prisão causaram um terremoto. O carcereiro disposto a suicidar-se, se converteu a Cristo.
4. Grandes vitórias nos esperam quando prestamos atenção ao clamor dos perdidos. Diante do clamor das nações e de tantos reinados, a história de Paulo se repete em nossas vidas. Assim como o apóstolo também somos ouvintes do clamor para sermos resposta às nações. O envolvimento missionário acontece quando estamos à disposição de Deus: indo, orando, contribuindo.
Sua Macedônia começa em sua própria porta. Todos nos encontramos com pessoas perdidas em toda parte. Percebe que estão ali? Veja como Paulo e Silas ouviram o clamor e aproveitaram as oportunidades que tiveram na Macedônia.
Quantas oportunidades você está aproveitando para falar de Cristo?


CONCLUSÃO:

Você está ouvindo o clamor dos perdidos? Nunca deixe de crer, pois as nações realmente estão clamando! Em todos os continentes existem centenas de povos não alcançados. No Sul da Ásia, principalmente na Índia, existem milhares de povos que precisam ouvir o Evangelho. No Sudeste da Ásia existem 11 países com uma população de quase 600 milhões de habitantes, distribuídos em 1.832 povos, dos quais 511 são povos não-alcançados. Nas Filipinas, onde está o Missionário Pr. Jônatas Caldeira existem 83 povos não-alcançados os camarines, catanduanes, binisays e os magindanaws.
Se as nações clamam, cabe a mim e a você sermos cooperadores de Deus. Eu creio que todos os crentes podem ter um coração missionário, que todos podem ser sensíveis ao grito das nações.
Deus precisa de vidas consagradas, prontas e dispostas a falar de Jesus para aquelas pessoas que ainda não o conhecem. Vamos, irmãos, consagrar nossas vidas ao serviço do Senhor? Vamos levar as boas novas de salvação a todo o mundo?

Vamos ser instrumentos de Deus para a salvação das almas perdidas? Você precisa fazer a sua parte no trabalho missionário.

Deus tem um lugar reservado para você no Campo missionário. Não negligencie a seara, não deixe que vidas se percam sem Cristo por você não estar fazendo a sua parte. Que possamos nos dispor a servir a Deus. O desafio e a convocação são claros: “A quem enviarei? E quem há de ir por nós?”. Ele nos convoca para atendermos a uma realidade e uma necessidade. Que diante do grito das nações nós possamos ser as mãos de Deus, os pés de Deus, os legítimos representantes de Deus. Encha o peito e grite bem alto: “Usa-me, Senhor!”.

lição07 ebd

I - INTRODUÇÃO:

. ANTES DE FAZÊ-LO LÍDER E FUNDADOR DE IGREJAS, DEUS FEZ DE PAULO UM SERVO!

II - SERVO VERSUS APÓSTOLO:

Rm 1:1 - Aqui há um claro paradoxo: “… Paulo, SERVO de Jesus Cristo, chamado
para ser APÓSTOLO…”.

SERVO = Escravo. Significa pertencer a alguém, a um senhor. Paulo pertencia à classe de escravo cujas orelhas eram furadas e cuja liberdade estava em ser cativo - Dt 15:16-17.
APÓSTOLO = Alguém especialmente comissionado com plenos poderes de seu superior. Enviado, mensageiro.
APÓSTOLO era um dos títulos mais alto e mais reconhecido na Igreja Primitiva! Era considerado um cargo de liderança! Porém, Paulo se apresenta como “SERVO, ESCRAVO”!
III - O PREPARO DO LÍDER-SERVIDOR:

De perseguidor, Paulo transforma-se em perseguido, tendo uma visão de Jesus na estrada de Damasco (At 9:1-17).
Após conhecer quem era JESUS, Paulo pensou estar preparado para pregar o Evangelho. Mas não estava! Prega em Damasco, no entanto é perseguido e foge (At 9:18-25).
Vai para Jerusalém, onde estavam os apóstolos. Lá, pensou que seria aceito, mas não foi. Duvidaram dele e foi rejeitado (At 9:26).
É quando Barnabé aparece em sua vida. Abraça este homem, investe na sua vida. E então Paulo se anima e faz um projeto para evangelizar Jerusalém. Seus sonhos são grandiosos, mas DEUS não aprova seu projeto, aparece a ele e dispensa a sua obra. Manda que arrume as malas e parta dali (At 9:27-30).
Paulo vai então para Tarso onde permanece no anonimato por, aproximadamente, dez anos. Dez anos de molho: longe dos acontecimentos, sem ministério. Ali, DEUS retira a sua vaidade, o seu orgulho, a sua intemperança.
Em seguida começa a acontecer um grande avivamento na cidade de Antioquia e Barnabé (aquele que investiu na vida de Paulo) o chama para lá. Barnabé encontra Paulo; agora não é mais um homem parcial, radicalizado em suas idéias e tradições, mas um servo, um escravo!!! ….. e de lá PAULO é enviado para os gentios e se revela o abençoado LÍDER-SERVIDOR na vida dos cristãos (At 13:1-5).
Leiamos At 20:4; 26:5 - Antes de ser líder-servidor, Paulo teve um encontro com Jesus! Sua vida foi transformada e o próprio Deus chamou o Seu servo para ser missionário - At 26:12-18
Diante de tal quadro, podemos considerar que É POSSÍVEL SER SERVO E NÃO SER LÍDER, MAS NÃO HÁ POSSIBILIDADE DE SER LÍDER SEM SER SERVO OU ESCRAVO. Todos nós somos servos - I Pe 4:10.
IV - UM CURSO PARA QUEM DESEJA SER LÍDER-SERVIDOR:

Leiamos Mc 10:32-45 - Jesus está pacientemente treinando os seus discípulos para a missão que deviam cumprir. Observemos o modelo de liderança de Jesus:
(1) - Mc 10:32 - JESUS LIDERA COM CORAGEM, INDO ADIANTE DE SEUS DISCÍPULOS - O líder-servidor vai sempre na frente dos seus liderados. Sabe onde quer chegar e aglutina pessoas para que o acompanhem! - Jo 10.2-4.
(2) - Mc 10:33-34; Lc 9:51-53 - JESUS CAMINHAVA RESOLUTAMENTE PARA JERUSALÉM, SABENDO QUE SOFRIMENTOS INDESCRITÍVEIS O ESPERAVAM - O verdadeiro líder-servidor é aquele que não recua diante das dificuldades e do alto preço que tem de pagar para cumprir completamente a sua missão! Precisamos de líderes-servidores corajosos como Jesus, que não desistem até a vitória completa sobre as hostes espirituais da maldade, para a libertação de vidas para o Reino de Deus!
(3) - Mc 10:32, 35-37; Mt 20:20-21 - JESUS SEGUE O CAMINHO DA CRUZ - O pedido de posições honrosas no Reino de Cristo foi feito por dois apóstolos e pela mãe de ambos, depois de Jesus ter falado aos doze sobre a cruz! Os discípulos queriam a glória sem a cruz. Porém, para Jesus, o caminho da glória passava pelo Calvário, pela cruz.
O diabo tentou desviar Jesus do caminho da cruz, oferecendo-lhe a glória e o poder dos reinos deste mundo (Mt 4.8-10). Ele continua tentando hoje àqueles que estão sendo preparados para liderança. Por isso, somos exortados a ter a mesma atitude de Cristo que foi obediente até ao sacrifício, para que fosse glorificado pelo Pai (Fp 2.5-11). A carne (natureza humana pecaminosa) não serve a Deus (Rm 8.6-7); precisa ser crucificada (Gl 5.24; 6.14).
Precisamos de líderes que estejam mortos para a carne, para o mundo, para as ambições terrenas, a fim de que possam conduzir o povo de Deus para uma genuína espiritualidade e a vida de Jesus se manifestar - II Cor 4:10-11.
(4) - Mc 9:33-35; 10:41-45 - JESUS EXERCE AUTORIDADE PARA SERVIR - Houve uma crise no colégio apostólico por questão de poder! Manifestou-se outra vez a tendência de discutir quem dentre eles era o maior. Os discípulos ambicionavam poder para dominar! Teria acontecido uma divisão no Colégio Apostólico, não fosse a intervenção rápida de Jesus!
Deixemo-nos moldar pelo divino Mestre para que sejamos líderes-servidores. Não esqueçamos: Ser líder e servo de Deus é algo de que devemos nos gloriar. Humilhante, pejorativo, depreciativo, desonroso, vergonhoso, é ser líder e servo do pecado, servo de Satanás.
V - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Segundo o modelo de Cristo, o líder-servidor adota o princípio dos quatro “esses”: Submissão ao Superior; e Serviço ao Subordinado.
A grandeza e o espírito de nobreza manifestam-se na disposição de servir. O maior é quem serve. Este é o modelo de um líder-servidor formado no “Curso de Formação de Líderes-Servidores ministrado pelo Professor, Mestre e Servo Jesus de Nazaré”.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

REFLEXÃO

Quanto valho: O que tenho, ou o que sou?
A sociedade brasileira, culturalmente, alicerçasse no consumismo desenfreado, o que tem levado milhares de pessoas a culpar Deus pelas suas ações mal sucedidas. A mídia persuade-nos diariamente para que compremos todo e qualquer tipo de produto, nas melhores condições. Existe algo chamado de exclusão social, e isto tem se tornado normal e banalizado no meio cristão.

Quando Samuel viu um moço chamado Davi, surpreendeu-se com a determinação dada pelo Senhor de que ele, Davi, deveria ser ungido rei de Israel. A principal característica para o espanto do profeta, era a aparência. Aparência! esta palavra não nos soa bem. Em um mundo onde dizem que o poder está nas mãos de quem têm dinheiro, a palavra de Deus está cada vez mais escassa.

A aparência tem se tornado maneira de se adquirir respeito, prestígio, visibilidade social cristã. E esta maneira de observar e inquirir poder através do que é visível é antiga, no que podemos lembrar: o rei Saul. Mas, o interessante, segundo diz-nos a palavra de Deus, é que o Senhor expressou a Samuel dizendo: Não olheis como vê o homem, que só enxerga o que está diante de seus olhos, mas veja com meus olhos, que vêem não a aparência se não o coração.

Trajarmos belas roupas, usarmos marcas famosas, pagarmos caro em adereços brilhantes, portarmo-nos de maneira diferente por estarmos bem vestidos, não nos levará a uma maior comunhão com Deus, mas sim nos afastará Dele, se nosso coração estiver totalmente voltado para esta questão. Sim, nos afastará, pois a bíblia nos ensina que não devemos amar as coisas desta vida, mas sim nos desvencilharmos de cada uma delas.

O fato de possuir, ou não possuir uma bela casa, um belo carro, não deve ser motivo de exclusão. Muitos se atentam apenas para os que têm uma estável condição financeira, mas lembre-se de Lazaro, quantos amigos o ajudou na hora da tribulação?

Já ouvi diversas histórias de pessoas que foram mal tratadas na igreja. Certa vez, ouvi algo muito interessante e criativo. Um moço da igreja se caracterizou, ou fantasiou como um mendigo, e foi para a igreja onde congregava, ao chegar não lhe permitiram entrar, porém não sabiam os porteiros do que estava ocorrendo, aos poucos o moço começou tirar a fantasia, e os porteiros ficaram envergonhados.

Pode apenas ser uma história, mas será que não agiríamos da mesma forma? Então, abramos nossos olhos para o que é espiritual, e não nos atentemos para este corpo corruptível, pois o Senhor não vê como o homem, que enxerga de maneira limitada, mas vê o coração. Jesus viu em um cego a possibilidade de seu ministério ser divulgado, em um endemoniado gadareno, um futuro missionário, em Raabe, uma ajudadora. Não se limite a olhar com teus olhos físicos, valorize as pessoas pela sua conduta, caráter, moral e não pela sua situação financeira, social, ou seja, não valorize ninguém pelo que tem, mas sim pelo que é.

ANSIEDADE

Ansiedade, O que é isso?
A palavra ansiedade significa sufocamento. Na primeira carta de Pedro, no capítulo 5, verso sete, a palavra de Deus nos ensina, de maneira clara e objetiva, como devemos nos comportar perante situações adversas. A bíblia diz assim: “lançando sobre Ele toda vossa ansiedade, por que Ele tem cuidado de vós”.

Segundo alguns especialistas da psiquiatria, psicologia e estudiosos da área, afirma-se que a ansiedade, que não é depressão, é o mal do século XXI. Vivemos nos momentos em que o tempo está escasso, não há satisfação em nenhuma conquista, por mais que o processo para alcançá-la tenha sido árduo.

A ansiedade é causadora de muitas doenças: aumenta pulsação do sangue, que causa alta pressão arterial. Também causa desapontamentos psíquicos, pois a ingestão de remédios para emagrecimento (ansiolíticos), nem sempre serão benéficos e eficazes perante alguns tratamentos. Se a palavra nos ensina a lançar sobre Ele nossas ansiedades, por que temos andado tão ansiosos?

Uma vez que não descanso no Senhor perante acontecimentos inesperados, ou acontecimentos premeditados, estou subestimando o poder de Deus; no que tange o cuidado que o Espírito Santo tem sobre nossas vidas diariamente. Lembro-me que certa vez andava muito ansioso em minha caminhada cristã, vontade de fazer algo para Deus, de ser bem sucedido financeiramente. Estas coisas causam em nossas vidas inquietações diárias, que nos impedem de depositar nossa confiança no Deus da providência.

Com o tempo fui aprendendo que o melhor modo de prevenir a ansiedade é buscando ao Senhor. Quantas vezes te sentes sufocado, não dormes, preocupa-se com situações que nem aconteceram, ou pensas que irão acontecer; isto é um grande sintoma de ansiedade.

A ansiedade tem levado milhares de cristãos a culparem Deus por suas finanças decrescentes, mas não percebem que a ansiedade do consumismo os levou a isso, a insatisfação do velho de ontem, pela satisfação do novo de amanhã, que depois de amanhã tornar-se-á velho novamente, tem levado milhares de pessoas a consumirem a medida que não podem pagar.

Culpar Deus pelas nossas frustrações não é a melhor maneira de combate, mas como escrito na palavra de Deus, lançando sobre Ele. Quando os pescadores lançam ao mar suas redes, estão totalmente esperançosos de que irão pescar alguma qualidade de peixe, mas quando isto não acontece, tornam a fazê-lo.

Lance suas redes àquele que pode responder e saciar tuas necessidades, não fique lançando redes em mares que não lhe oferecem providência, seja um sábio pescador, medite na palavra de Deus, e lembre-se: Não subestimeis o cuidado de Deus sobre vossa vida.